2016-08-30

Desperdício de TAGs de cobrança automática veicular.


Lá em 2013 eu publiquei uma matéria falando sobre a concorrência desleal nos pedágios onde o usuário era quem pagava o "pato" e nada mudou até hoje, obviamente. Continuamos pagando mensalidades e as operadoras das estradas continuam economizando com funcionários.




Depois destes 3 anos um outro fato se mostrou expressivo: o desperdício de TAGs




Como isso acontece: Simples! Eles vinculam o TAG ao carro E ao CPF do usuário fazendo com que um TAG funcional e bom seja jogado no lixo a cada troca de veículo pois o novo proprietário não pode usar o TAG já colado. Ele é forçado a jogar aquele TAG fora e comprar um novo.

Esses TAGs possuem uma bateria interna que descartada no lixo convencional polui o meio-ambiente e por isso evitar esse desperdício de TAGs, além de mais econômico ao usuário/cliente, é bom também para a natureza.

O fato é: Por que não vincular a TAG somente ao carro de modo que ao trocar de carro o cliente possa usar uma TAG existente no novo veículo?

Cada TAG tem um número de série que pode ser usado para habilitar o débito deste aparelho em uma conta pré-paga (ou pós) que o usuário/cliente tem.

Eu explico...

O usuário/cliente cria uma conta no site da empresa do TAG e insere lá o(s) número(s) de série que estão habilitados a gerar débito naquela conta. Quando a pessoa vende o veículo simplesmente vai lá e exclui o número de série.

O TAG permanece funcional no carro porém para ser usado o novo proprietário faz o mesmo processo de incluir o número de série do TAG na sua conta junto à operadora de auto-pagamento.

Simples assim. 


AutoExpresso ConectCar MoveMais SemParar

2016-08-26

Art. 267 do Código de Trânsito Brasileiro - Lei 9503/97



Procurei muito na internet e em nenhum lugar ensina um passo a passo de como fazer o requerimento de conversão de multa em advertência por escrito conforme previsto no artigo 267 do CTB então, aqui vai a receita de bolo:

Você vai precisar de:

  1. Cópia simples da Carteira Nacional de Habilitação (CNH)
  2. Notificação de autuação de infração de trânsito(NAIT) - original e uma cópia simples (frente e verso);
  3. Requerimento de solicitação de advertência por escrito - original, preenchido e assinado - clique aqui para obter modelo;
  4. Envelope endereçado ao Diretor do DSV. É o mesmo endereço para onde enviam-se os recursos de multa. É só procurar na NAIT que tem.


Lembre-se que

  • O requerimento deve ser feito até a data do término do prazo para a apresentação da defesa da autuação (recurso de multa)
  • Esse tipo de conversão de penalidade só serve para infração de trânsito de natureza leve ou média (três ou quatro pontos).
  • O condutor não pode ter cometido o mesmo tipo de infração nos últimos 12 meses e a CNH tem que estar "em ordem".

Se você é o condutor infrator mas não é o proprietário do veículo já preenche o formulário de identificação do condutor infrator.

Junte a papelada dos itens 1, 2 e 3, coloque no envelope e poste no correio. Pronto! Está feito! Agora é só torcer para eles aceitarem o pedido.

Você saberá se deu certo em um de três casos: OU a pontuação não aparecerá OU o boleto para pagamento não chegará OU o melhor de tudo: as duas situações anteriores acontecerão simultaneamente.



Essa informação acima foi sintetizada a partir desse endereço: http://www.detran.sp.gov.br/wps/portal/portaldetran/cidadao/infracoes/fichaservico/advertenciaPorEscrito