2013-02-22

P2P all in one

Quem lembra do falecido Napster? Ou melhor, quem lembra o que era o Napster?

O Napster era um programa de compartilhamento de arquivos pear-to-pear (ponto-a-ponto). O que ele fazia era simplesmente conectar dois computadores que tivessem o Napster ativo.

Todo mundo se divertiu usando o Napster para baixar músicas de computadores ao redor do mundo. Ele sumiu e após ele muitos outros vieram... cada um com a sua rede/codificação particular de compartilhamento até que...

Alguém pensou em criar um único programa P2P que em vez de ter sua própria rede, conectasse em todas as outras e assim surgiu o Shareaza.

Com o passar do tempo, os fabricantes dos programas foram literalmente caçados pela justiça e acabaram desaparecendo porém, o Shareaza se manteve. O motivo? Remanescentemente(existe essa palavra?) ele usa 3 redes que não há como justiça nenhuma tirar do ar. Duas delas são mais antigas que o próprio Napster.

Enquanto as outras redes usavam um modo centralizado de controle de computadores interconectados a antiga rede Gnutela forma uma espécie de "teia de boatos". Como funciona isso? De um modo simplificado a explicação é essa: Quando você usa o Shareaza para procurar um arquivo, o computador A(seu computador) pergunta ao B se ele tem tal arquivo e por sua vez o computador B pergunta ao computador C e assim vai... quando algum computador diz que tem o arquivo o computador A se conecta diretamente a este computador e inicia a transferência. Desse modo, enquanto existir um computador ligado sempre haverá a chance da Gnutela existir.

Mesmo com essa implacabilidade da justiça dos direitos autorais o Shareaza se manteve e como tudo que tem sucesso, acaba adquirindo inimigos e interesseiros. Com o Shareaza não foi diferente. Depois de um tempo eles acabaram perdendo o endereço de internet padrão (shareaza.com) para uns "golpistas" que hoje usam  esse endereço para difundir um clone do Shareaza cheio de vírus. Se você quer baixar o Shareaza original só há um lugar, no Sourceforge: http://shareaza.sourceforge.net

Calma, as coisas não são 100% boas. A rede Gnutela é muito antiga e como tudo que é velho tem "manhas" de uso. É como a panela de arroz da sua avó. Você nunca vai conseguir fazer o mesmo arroz de primeira.

A rede Gnutella (uma das que o Shareaza usa) não tem segurança nenhuma! Um exemplo prático disso é simples: usando qualquer programa que conecte na rede Gnutella faça uma procura por "Microsoft Office" e você verá inúmeras respostas que o tamanho do arquivo nem passa de 1MB e aí? Você fica feliz em ter um Office menor que um mega? Você acha que isso existe?? É claro que é uma fraude!!! Ou é um instalador de porcarias ou mesmo um vírus.

Com um pouco de cuidado é possível baixar de tudo com o Shareaza pois o programa ao usuário definir quais pastas do computador ele vai compartilhar(no meu caso "filmes" e "mp3") na rede e do mesmo modo há usuários compartilhando de tudo... desde programas até receitas de bolo em formato PDF.

Enfim, o Shareaza é um ótimo programa mas precisa de duas coisas simples para usar: anti-vírus e bom senso.

2013-02-19

Media Center a nova velha moda

XBMC (lembre-se dessa sigla!)

Vou escrever aqui sobre algo que vai reforçar uma idéia que eu venho defendendo há anos: futuramente (e ja está atrasado) toda casa/escritório/etc somente precisará de duas coisas: energia elétrica e uma conexão de dados. E se esses dados vierem pela tomada elétrica (também ja está atrasado) as coisas serão mais simples ainda. Ainda falando em futuro, a médio prazo ainda afirmo que as TVs continuarão a existir mas a longo prazo serão extintas. O que teremos serão monitores de computador de tamanhos grandes substituindo as TVs ou até mesmo equipamentos "All-In-One" com sistema operacional e capacidade de processamento.

Hoje muita gente conecta o notebook à TV para assistir filmes e escutar música pelo home theater. Na realidade há muitos anos pessoas fazem isso porém, somente agora isso se popularizou devido às conexões HDMI. Antigamente era uma complicação  pois som e imagem eram em conectores separados e muitas vezes era necessário um equipamento intermediador (conversor) para que um cabo de antena comum chegasse à TV e o vídeo apareceria no famoso canal 3.

Como o que move o mundo é a política do pão e circo essa idéia de ter a flexibilidade do computador na TV fez surgir as atuais SmarTVs porém, isso é para usuários atrasados! Sim, se vc tem uma SmarTV mais cara que seu salário e se acha com mais poder que o síndico do seu prédio esqueça!

Assim como eu dizia que os Set-Top-Box iriam substituir os equipamentos de TV paga (conversor de cabo/satelite) e hoje se compra na Sta Efigênia AZ-Box em toda esquina, eu digo que em um ou dois anos essa infestação será substituída pelos micro-pc.

Há alguns anos já se encontra no mercado os micro-pcs. E para tornar a explicação mais fácil veja esse diagrama do Raspberry Pi:


Essa placa é do tamanho de um cartão de crédito e tem quase todas as conexões possíveis para se conectar à internet e à TV. Veja a placa fisicamente:


Na realidade, como é um computador completo, tem muito mais poder que isso. Um barramento que estende sua conectividade a outros equipamentos:



Mas para o momento a simples capacidade de transformar uma TV (ou mesmo um automóvel!) em um computador completo já deixa todo o conceito de SmarTV obsoleto visto que tais TVs são "empedradas" forçando o usuário a assistir, por exemplo, somente transmissões do Netflix enquanto este poderia escolher entre Netflix, Joost, Google Video, Youtube, Netmovies, etc... Para aumentar a obsolência das atuais SmarTVs imagine que a já consagrada tecnologia de nuvem também pode ser acessada (lembre-se é um computador completo!).

Quer ver o que essa idéia é capaz de fazer? Veja o vídeo onde a TV é transformada em um Media Center e controlada por um celular Android qualquer... se não tiver paciência para ver o vídeo todo avance até 15:40 que ja dá para ter uma idéia:


Isso ja é uma realidade e esse padrão de "media center" (software instalado no Raspberry) do vídeo se chama XBMC. O XBMC foi originalmente criado para o XBox mas acabou caindo no gosto mundial por ser gratuito e de aplicabilidade flexível (veja que está no celular e na TV ao mesmo tempo).

Um software de media center nada mais é que um gerenciador de fotos, vídeos, músicas, estações de rádio e tv, etc... Quem precisa de TV a cabo ou mesmo um rádio comum se tiver um media center?

Gostou? Então lembre da sigla: XBMC. Provavelmente você vai precisar saber se sua próxima TV (novamente: ou seu próximo carro) é compatível com um padrão qualquer de media center (como o XBMC). Ou mesmo comprar um set-top-box compatível com esse padrão.


.

2013-02-06

Concorrência desleal nos pedágios

Entrou em funcionamento uma nova operadora de cancelas automáticas para fazer concorrência ao Via Fácil (SemParar). A nova empresa chama-se Auto Expresso e vem com a novidade de planos pré-pagos.

Analisando cuidadosamente a situação eu percebi que essas empresas têm uma origem em Brasília. Percebam...

O SemParar(assim como as novas ConectCar e Auto Expresso) sempre cobrou e provavelmente sempre cobrará mensalidade do usuário ou seja, lucrava com os aparelhos em uso E também economizava funcionários no pedágio entãããão também lucrava economizando todo o custo dos inúmeros funcionários que atenderiam os inúmeros carros que passam pelo sistema automático. Com certeza esse lucro todo é maior que o saldo das mensalidades que os usuários pagam. Isso sem falar na economia com as novas cabines que precisariam ser construídas para que as filas não ficassem impraticáveis nas praças de pedágio. Cabines essas que demandariam manutenção e equipamentos.

Tá bom, eu sei o que vão falar: "É mas a Viafácil é uma empresa e a concessionária da rodovia outra."

E daí? Elas que se entendam com a questão do dinheiro economizado pelo sistema automático!

O mesmo aconteceu com as operadoras de cartão de crédito que antigamente cobravam do estabelecimento E do usuário. Quando a população percebeu a sacanagem eles foram forçados a parar de lucrar de um lado.

Os planos pré-pagos da Auto Expresso também não são nenhuma maravilha visto que cobram uma "taxa de recarga" que nada mais é que uma mensalidade visto que só há duas opções de recarga: R$50,00 e R$100,00. Isso força o usuário a constantemente carregar e pagar a tal "taxa".  Perceba que se um usuário comum (daqueles que só pegam estrada em feriado) do Auto Expresso for da capital até Ribeirão Preto (uma cidade pólo) e depois voltar, ele já pagou duas "taxas" para a Auto Expresso pois ida e volta até lá passa de R$100,00 em tarifas de pedágio e como não há carga maior que R$100,00 o usuário é forçado a realizar duas recargas.

Ja a ConectCar possui uma gama maior de recargas e mais opções de uso (como compra de combustível com os créditos) devido à integração com os postos Ipiranga. Isto faz desta última uma opção um pouco melhor do que as anteriores.

Enfim, finalmente há uma concorrência no ramo de automatização de cancelas mas ainda assim a concorrência é desleal: com o usuário!






Lista de todos os operadores de auto-cobrança (atualizado em 26/05/2014):



.