2012-07-26

Fatos e hábitos

Vejam só como são as coisas...

Hoje vim escutando no rádio mais uma reportagem condenando o consumo de álcool por motoristas. Incrível como a imprensa realmente se dedica a transformar um acidente mínimo em assunto interplanetário quando há um motorista que excedeu em 0,00001 a taxa de álcool no sangue.

Só para eu entender: um cara sóbrio entra num cinema no Colorado, atira para tudo que é lado, mata várias pessoas e o máximo que eu ouvi foram palavras como "fatalidade" e "tragédia". Um cara bêbado aqui no Brasil bate o carro manda um para o hospital, outro para a cova (somente duas pessoas afetadas e destas somente uma morreu!) e o que eu escuto no rádio e na TV são 3 dias de ofensivas que garantiriam um pau-de-arara durante 100 dias para esse motorista. Escutei palavras como "assassino" e outras mais pesadas.

Sou totalmente a favor de armas de fogo e não acredito que proibir a venda vá desarmar o bandido que compra armas no mercado negro.

Tá... talvez eu seja meio shiita (nada contra eles) mas deixa eu analisar de outro modo. Dois bandidos entram na casa de um velho e espancam ele até quase a morte e tudo que eu fiquei sabendo é que o velho "passa bem". Menos de 30 segundos em um noticiário da madruga e só.

Deixa eu registrar aqui que AINDA estou calmo mas pensando que uma pessoa se dedicou a esta pátria por 80 anos e no final da vida motivado por um gesto de bondade, ao fornecer um copo de água, acaba no hospital sem ninguém dar bola pra isso me faz pensar naquele velho ditado: "Uma morte é tragédia. Muitas, estatística."

Nenhum comentário: