2013-04-18

A saga da comunicação instantânea.





Pouca gente sabe ou mesmo se lembra mas as mensagens instantâneas online surgiram em 1996 com um programa chamado ICQ® criado pela falecida empresa Mirabilis (comprada pela AOL).


O ICQ começou como um programa simples de troca de mensagens mas em pouco tempo agregou muitas funcionalidades inclusive a comunicação por voz que acabou não vingando devido à baixa velocidade das conexões de internet na época.



De lá pra cá muitos copiaram a idéia e o que mais explorou essa novidade foi o Windows Messenger que anos mais tarde passou a se chamar MSN Messenger. Lançado em uma época que a internet já era bem popular e com uma velocidade razoável mas chamadas de voz ainda assim não emplacaram.


Com a grande quantidade de comunicadores existentes as pessoas começaram a se perder com tanto programa instalado e foi aí que começaram a surgir os concatenadores. Programas que se conectavam nas várias redes e unificavam todos os comunicadores num só programa e nesse ramo o mais famoso foi o Trillian. Era realmente muito bom ter todos os seus contatos das diversas redes em uma janela só.


Passados os anos o Google lançou o GTalk e com ele uma idéia realmente sensacional: a federalização dos comunicadores instantâneos. Sim, finalmente cada um iria escolher o programa de comunicação que mais gostasse e poderia adicionar pessoas que usassem outras plataformas. Seria como o email que cada um tem o seu servidor de preferência (Gmail, Hotmail, etc..) e o email de um usuário que chega ao servidor do outro  é entregue na caixa de entrada do outro usuário numa boa. Tudo muito maravilhoso se tivesse adesão de todos mas obviamente as grandes empresas não largariam o o$$o e a coisa foi esquecida. Apenas a integração entre MSN Messenger e Yahoo Messenger aconteceu e foi de forma totalmente independente da proposta de integração universal que o Google criou.

Com o aumento da velocidade das conexões de internet, as chamadas de voz começaram a ser viabilizadas por completo mas as pessoas já não se lembravam mais do MSN messenger e muito menos do ICQ. Além disso as ondas de novidades já haviam se tornado um entorpecente que contaminou o mundo e mesmo que um dos antigos comunicadores fizesse um "relançamento" as pessoas não ligariam pois estavam sedentas por coisa nova ainda que fosse "mais do mesmo".

O tempo foi passando e de olho nisso surgiu o Skype que logo se apoderou dessa demanda. O Skype se estabeleceu quase que como um programa padrão para chamadas de voz via internet. A possibilidade de fazer chamadas gratuitas para qualquer lugar do mundo a era realmente atraente mas o problema era o preço da conexão de internet e esse foi um dos freios que ofuscaram o brilho do Skype e abriram uma porta para a ideia de mobilidade se estabelecer de vez.

Com o Skype estagnado os celulares se tornaram bem populares mas as tarifas não e apesar do custo ser baixo, as mensagens de texto (SMS) eram relativamente caras para uma conversa longa como se fazia com os comunicadores instantâneos.

E mais uma vez o tempo passou, as novidades não poderiam parar e o mercado foi se adequando às necessidades. As tarifas de celular ficaram mais acessíveis e as mensagens de texto começaram a popularizar. As chamadas gratuitas pela internet perderam a força pois demandavam algo fixo e as pessoas já estavam acostumados à mobilidade.

Com essa nova demanda por mobilidade a popularização dos smartphones emplacou e com eles a internet móvel foi viabilizada muito rápido pois as operadoras já haviam passado pelo "aviso" do SMS.

À essa altura o mundo inteiro já se deslumbrava com a realidade de ter um computador inteiro dentro de um telefone e como as novidades estavam cada vez mais difíceis de surgir, a onda de comunicadores instantâneos voltou pra valer só que desta vez totalmente portátil e substituindo o SMS.

Obviamente a nostalgia se fez valer e o MSN messenger foi o primeiro a ressurgir e na sequência todos os outros vieram à tona novamente.

Apesar do "mercado" de comunicadores instantâneos já ser bastante populoso, as empresas sabiam que novidades sempre foram e sempre serão bem recebidas e com isso surgiu, há pouco tempo atrás, o WhatsApp. Um novo comunicador instantâneo surgido exclusivamente para smartphones que tinha de diferencial dos outros exatamente: nada! Para não ser injusto, sou forçado a mencionar que o WhatsApp se diferencia por não possuir o modo "desligado" pois uma vez instalado ele fica sempre ativo. Apesar de ser "mais do mesmo" o WhatsApp possui mais de 200 milhões de usuários no mundo todo simplesmente por ser novidade.

Por enquanto o WhatsApp segue liderando uma vertente que nunca perdeu seu verdadeiro rei: o email.

Hoje, todo e qualquer smartdevice  que possui os comunicadores também possui aplicativos de email e assim como as mensagens instantâneas, um email também chega nesses equipamentos com a mesma velocidade e com um diferencial de que o email é universalizado desde sua criação. Aliado a isso, o email ainda é multi plataforma (tanto faz no celular, no computador, etc...) e registra histórico por natureza.


Apesar de eu acreditar que o futuro das mensagens instantâneas sejam os concatenadores eu tenho quase certeza que mesmo um pouco esquecido o email sempre existirá com a mesma eficiência das mensagens instantâneas.




Nenhum comentário: